A tecnologia está cada vez mais se esgueirando para a moda e não está limitada somente aos wearables e vestidos com LEDs que se acendem ou mudam de cores. Os tecidos inteligentes tem a capacidade de se comunicar, produzir energia, monitorar e incorporar alguns componentes digitais avançadas para fechar a lacuna entre a eletrônica e a moda. Designers, cientistas e startups de tecnologia estão trabalhando para tornar os tecidos inteligentes na matéria prima da moda conectada e da Internet das roupas.

Os sensores portáteis são geralmente limitados a colher dados de saúde, como leitura do eletrocardiograma (ECG) ou a sua frequência cardíaca. Mas a empresa californiana BeBop Sensors, consegue tonar “inteligente” praticamente qualquer coisa que entre em contato com seu corpo. Seus sensores de pressão flexíveis para soluções OEM permitem que os fabricantes possam medir a pressão ou a força sobre geometrias complexas além da localização, tamanho, peso, forma, curvatura, movimento e a presença dentro de uma variedade de ambientes como curvas, inclinadas e ergonomicamente desafiantes.

Dentre as tecnologias desenvolvidas estão palmilhas inteligentes para tênis que controlam tanto o seu ritmo e seu estilo de corrida, ou luvas inteligentes que te ajudam a “sentir o toque” dos objetos em realidade virtual. A BeBop coloca sensores em tudo, desde poltronas de carros a tapetes de ioga inteligentes que melhoram suas poses. A empresa só fornece a tecnologia para empresas e não os produtos acabados para o consumidor final

Tecidos inteligentes com sensor fornecem mapas 3D de dados  

Ao contrário de outros sensores portáteis no mercado que apenas medem a fisiologia (ECG, EMG), a condutividade eléctrica ou respiração, a tecnologia da BeBop mede as atividades físicas em tempo real para detectar e exibir mapas 3D de dados.  Os sensores no tecido proporcionam uma maior sensibilidade, resolução, gama de implantação e robustez de forma compacta e discreta.

Criado para o mercado em rápido crescimento de tecnologia vestível, os sensores de tecidos inteligentes da BeBop levaram seis anos de desenvolvimento para serem utilizados nos instrumentos musicais da empresa KMI como os teclados QuNexus e QuNeo. Depois de ser abordada por numerosas várias empresas que se interessaram pela tecnologia de sensores de tecido, a KMI lançado a empresa BeBop para atender a demanda.

A Error! Hyperlink reference not valid. (KMI) é uma desenvolvedora líder de tecnologias de hardware e software inovadores que permitem que os músicos possam fazer a interface com computadores de novas formas emocionantes com ferramentas que adicionam novas dimensões de expressão e de controle para suas performances.

As soluções disponíveis para a integração em novos produtos wearable da bebop são:

Controladores vestíveis:  para as mangas de jaquetas ou camisas para conectar ao smartphone para atender chamadas, ajustar o volume ou selecionar canções, tudo isso enquanto o smartphone permanece no bolso do usuário.

Palmilhas super finas: monitoram o movimento, pressão, forma de contato, ajuste e flexão dos dedos e pés.

Planas, cilíndricas ou esféricas geometrias: usado como mapas de pressão, sensores de cabeça ou alças de equipamento desportivo.

Esteira inteligente para Yoga: mostra a pressão da mão e pé para ensinar a melhor postura.

Sensores de mão: monitora os dedo para baseball, golfe, etc.

Sensores para assento de carro:  detecta volume de enchimento do airbag e o peso do passageiro.

Sensores de volante: monitora se o motorista está alerta.

Luvas para levantamento de peso: indica o peso e até mesmo a pressão.

Sensor para o pé: antecipa eventos diabéticos.

Sensores para ciclismo e tênis:  medidores de energia.

Os sensores da Bebop são adequados para roupas e vestuário de proteção, sapatos, dispositivos de saúde, equipamento atlético, automotivo, robótica, aeroespacial, segurança, biometria, próteses e eletrodomésticos.

Fonte: Stylo Urbano