Novo dispositivo de refrigeração fino e flexível pode ser usado no vestuário, além de sistemas robotizados e novos tipos de sistemas personalizados. É a primeira demonstração de um dispositivo de refrigeração de estado sólido baseado no efeito eletrocalórico, um fenômeno em que a temperatura do material muda quando um campo elétrico é aplicado a ele. O projeto foi criado por pesquisadores e cientistas da UCLA Engineering e da SRI International, organização de pesquisa e desenvolvimento sem fins lucrativos.

O método elaborado pelos pesquisadores é muito eficiente em termos energéticos, utilizando um filme de polímero fino que transfere calor da fonte principal, geralmente uma bateria ou processador, para um dissipador, alternando o contato entre os dois e ligando e desligando a tensão elétrica. Como a película de polímero é flexível, o sistema pode ser adaptado para dispositivos com curvatura complexa ou com superfícies em movimento. As principais aplicações devem surgir em dispositivos móveis e wearables. “Nós fomos motivados pela idéia de criar um sistema de refrigeração personalizado”, disse Qibing Pei, professor de ciência e engenharia de materiais da UCLA e principal investigador do estudo. “Por exemplo, uma almofada de refrigeração ativa pode manter uma pessoa confortável em um escritório quente e, portanto, reduzir o consumo de eletricidade pelo ar condicionado. Ou poderia ser colocado em uma palmilha de sapatos ou em um chapéu para manter um corredor confortável mesmo debaixo de um sol muito quente. É como um condicionador de ar pessoal.”

Os principais autores do estudo são o estudante pós-doutorado da UCLA, Rujun Ma e o estudante de doutorado Ziyang Zhang, ambos membros do grupo de pesquisa de Pei. Outros autores são Kwing Tong, um estudante graduado da UCLA; David Huber, engenheiro de pesquisa da SRI; e Yongho Sungtaek Ju, professora de engenharia mecânica e aeroespacial da UCLA. A pesquisa foi apoiada pela Agência de Projetos de Pesquisa Avançada do Departamento de Energia da Energia e pelo Escritório de Pesquisa Científica da Força Aérea. Os pesquisadores apresentaram um pedido de patente dos Estados Unidos para o dispositivo. A pesquisa foi publicada na Science.

Fonte: Divaholic.