É a primeira vez que a varejista ultrapassa essa marca, com a previsão de investir R$ 700 milhões ao longo de 2019

Pela primeira vez em sua história, a Lojas Renner ultrapassou R$ 1 bilhão em ganhos. O lucro líquido da companhia em 2018 subiu para R$ 1,02 bilhão, crescimento de nada menos que 39,2% sobre 2017. A receita líquida anual somou R$ 8,42 bilhões no período, avanço de 13,2% em relação a 2017. Só a rede da bandeira Renner respondeu por R$ 6,8 bilhões da receita líquida total da companhia no ano passado, alta de quase 70% sobre o faturamento de 2017, mostra o balanço financeiro da varejista divulgado na semana passada.
Ao longo do ano, a companhia acumulou resultados positivos. Mas, além de o último trimestre ser, historicamente, o melhor para o varejo, de outubro a dezembro de 2018 a Renner teve desempenho bastante festejado pelos investidores. A receita líquida somou R$ 2,83 bilhões no quarto trimestre, que representou aumento de 13,2%. O lucro líquido nesses três meses foi de R$ 439,77 milhões, correspondendo a expansão de 32,5%.
“Houve uma melhora importante da economia a partir de agosto”, afirmou a investidores José Galló, executivo que deixará o cargo de presidente em abril, seguindo o programa de sucessão da companhia. Ele será substituído por Fabio Faccio.
Durante 2018, foram abertas 55 lojas, mas fechadas 11 (seis da Youcom e cinco da Renner). O saldo do ano aponta para 44 pontos de venda a mais do que o operado em 2017, incluindo as sete instaladas no Uruguai. No balanço geral, são 351 unidades da Renner (incluindo as operações externas), três da Ashua, 94 da Youcom e 108 da Camicado.
INVESTIMENTO CONTINUA EM EXPANSÃO
“Vamos investir R$ 700 milhões em 2019”, informou Galló ao abrir a teleconferência de resultados. Quase R$ 100 milhões a mais que os R$ 610 milhões aplicados em 2018. A maior parte dos recursos será consumida na abertura de lojas. De 25 a 30 lojas Renner, incluindo mais pontos no Uruguai e as três da Argentina, previstas para serem inauguradas no segundo semestre. Youcom e Camicado terão a rede reforçada por mais dez lojas cada bandeira. A expectativa para a Ashua são mais cinco ponto de venda até o final de 2019.
Outra parte dos investimentos contempla a entrada em operação de um novo centro de distribuição e os projetos de transformação digital da empresa. A companhia pretende aprofundar o uso de ferramentas para conhecer mais os clientes, ampliar o uso de análise preditiva para o desenvolvimento e lançamento de coleções, além de melhorar a precisão no mix de produtos por loja. “Também estamos pilotando o uso de blockchain na cadeia de fornecedores para garantir melhor qualidade e conformidade de produtos”, disse Galló.
O sistema de comprar pela internet e retirar nas lojas está disponível para as todas as plataformas de ecommerce da companhia, e liberado para todas as lojas das redes, garante o executivo. Ele ainda mencionou outros projetos para o ano. A empresa começa a instalar armários (lockers) para automatizar o processo click & collect. Assim, o cliente retira sozinho as mercadorias que comprou pela web.
Em 2018, a Lojas Renner também iniciou o projeto de implantação de RFID que deverá estar concluído até o final de 2019. “Vamos continuar investindo de uma forma importante e rápida em projetos digitais para ter uma visão única de cliente, aperfeiçoar o ciclo completo de produto, desde a captura de tendência até a execução lá na ponta, e unificar canais de atendimento”, resumiu José Galló.

Fonte: GBL Jeans.