Estudo da Malha e do Instituto C&A aponta para mais espaços de cocriação e transformação das marcas sob influência do comportamento de consumo.

A Malha e o Instituto C&A lançaram o relatório Identidades Fluidas – O poder do Eu, que aborda a transformação da identidade das pessoas e seu impacto no comportamento e consumo. O estudo traz dados e casos desses movimentos e o perfil de quem consome tendências. De acordo com o relatório, o uso criativo da moda fortalece ou subverte as várias facetas do eu, expressando questões como gênero, raça, etnia, religião, status e ideologia.

Na apresentação do estudo pelo cofundador da Malha, André Carvalhal, no final de julho, no Rio de Janeiro, foram mostrados exemplos como o de Daniel Kalleb, que se descobriu um influenciador, e da agência de modelos Jacaré Moda, introduzida por Helena Gusmão, que dá um novo sentido à voz que vem da periferia. A economia colaborativa e a emergência de movimentos sociais e culturais que buscam a igualdade de oportunidades criam espaços para a cocriação transformando as marcas, aponta o estudo.

Segundo o Instituto C&A, o relatório faz parte de uma série de estudos realizados pela equipe da Malha para popularizar o conhecimento e reforçar o compromisso de trabalhar questões pertinentes à indústria da moda e sustentabilidade. O conteúdo apresentado no encontro está disponível para download no site do projeto. Os demais temas – O Poder dos Comuns – O Fim das Instituições; O Poder do Planeta – Novas Cadeias de Valor; O Poder das Máquinas – Tecnocracia; e O Poder do Gênero – Sexualidade e Expressão –, serão desdobrados em outros encontros.

A Malha incentiva a produção de moda colaborativa, cuja sede fica em galpão industrial no bairro de São Cristóvão, no Rio de Janeiro, juntando escola e laboratório de experimentação. Já o Instituto C&A atua na promoção de uma indústria sustentável no Brasil, integrado à C&A Foundation.

Fonte: GBLjeans