O material desta edição conta com dados inéditos de uma Google Consumer Survey, nossa ferramenta online de pesquisa, feita com 1.000 pessoas, distribuídas por todas as regiões brasileiras.

O novo levantamento comprova que o consumo consciente ganha ainda mais valor em tempos de crise econômica e que a representatividade também influencia a moda. Além disso, foi apresentada uma análise das tendências de busca que mostram o que as pessoas estão pesquisando quando o assunto é moda.

Confira abaixo alguns insights dos dois estudos:

Comportamento de compra

89% das pessoas pretendem comprar roupas e calçados no 2o semestre de 2017.

A maior parte das pessoas afirmam que mudaram seu padrão de consumo por conta da crise: 26% passaram a comprar roupas mais baratas e 12% diminuiu a frequência. de compras, mas segue comprando suas marcas de preferência.

86% das pessoas pesquisam mais do que faziam há dois anos.

64% dos compradores online pesquisam em pelo menos três sites diferentes.

A pesquisa agora passa a ser por ocasião. Ex.: Calça de academia ou vestido de festa.

43% sempre / quase sempre ou algumas vezes compra mais dos que planejava.

31% compram quando tem uma necessidade específica, como festa ou compromisso corporativo e 23% quando precisam trocar algum ítem velho.

46% das pessoas preferem ver os produtos em um vídeo ou em um contexto quando estão comprando moda e não apenas a foto do produto.

77% das pessoas afirmam conhecer ao menos uma blogueira de moda.

O número de clientes que se declaram fiéis a uma marca vem caindo desde 2015.

A busca por marcas cresceram menos que a busca por produtos.

Sustentabilidade: nos últimos dois anos, as buscas por roupas usadas cresceram 97% e as por conserto de roupas 145%.

Tendências de Busca

A representatividade também impulsiona a moda.

Nos últimos dois anos, as buscas por feminismo cresceram 217%, por cabelos raspados 462% e por sapatos de salto baixo 218% vs 126% das buscas por sapatos de salto alto.

As buscas por machismo nos últimos dois anos cresceram 161%, por saia masculina 121% e por maquiagem masculina 317%.

Já as buscas por racismo cresceram 107%, acompanhadas das buscas por estampa africana que aumentaram 121% e turbante com 317%.

98% das buscas de roupa para o réveillon mencionam a cor branca.

As buscas por roupas esportivas cresceram 213% nos últimos dois anos e por sapatos para a prática de esportes 268%.

No Brasil, nos últimos 12 meses, as buscas por biquínis aumentaram em 35% e por maiôs 133%, reflexo do uso de maiôs como body.

Quando o assunto é biquíni, as buscas se concentram nos modelos: cintura alta, biquíni de crochê, cropped e ripple.

O interesse por saídas de praia também teve expressivo crescimento no Brasil no último ano: 92%. Destaque para os modelos de crochê e renda.

Na categoria vestido, os mais buscados são os de festa.

Saias jeans, lápis, de tule e midi estão entre as preferidas.

Os brasileiros têm o tecido jeans como o preferido quando pensam em calça ou bermuda/short.

Os homens buscam mais camisa que camiseta (59% vs 41%).

Fonte: Trend2