A artista feminista Marilyn Minter, assim como muitos outros artistas e cidadãos, não esconde seu desagrado com a política de Donald Trump. Ela resolveu então canalizar sua raiva em um projeto incrível: uma loja pop up no Brooklyn Museum que tem resistência como tema.

O espaço chama-se “Anger Management” e é uma colaboração com a historiadora de arte Andrianna Campbell. Elas curaram juntas mais de 60 objetos que simbolizam resistência, esperança e protesto, com peças de artistas como Jenny Holzer, Rob Pruitt e Barbara Kruger e do grupo Black Women Artists for Black Lives Matter. Há desde pins e tatuagens temporárias a lingerie bordada com a palavra Resist, posters e colagens. A maior parte dos produtos custa de US$ 5 a US$ 30.

“Demos esse nome para destacar nossa resposta e nosso desagrado com tanta coisa errada, como a questão da imigração, a violência contra as pessoas de cor, a intimidação de supremacistas brancos, um renascer do movimento neo-nazi, entre tantas outras questões”, diz Minter. “Como indivíduos educados, raiva parece uma resposta irracional, mas neste ponto, é a resposta mais racional que temos”.

A loja fica aberta até o dia 12 de novembro e toda a renda arrecadada vai para o Brooklyn Museum.

Fonte: FFW.